Edição 3

Edição 3 - 28.09.21

o corpo inesperado + Homem que anda sobre coluna + Ensaio para o desaparecimento + O VINHADINHO + abre caminho

Aline Kauana Cezar + Nina Lins + Carlos Lima Jr. + Breno de Sant'ana + Nina Horikawa

o corpo inesperado

se eu posso dizer tudo que quero esquecer
fazer do corpo meu único parceiro de dança
hackear a utilidade da memória e
perpetuar em formato de contágio
o ser estrangeiro
a inutilização dos gestos
esqueçam os gestos
esqueçam o corpo útil!

sair correndo e tropeçar
e não esperar mais que o erro
não esperar que o erro seja mais
do que um mapa indicando
o próprio caminho para o erro

jogar fora tudo que é físico
teórico os conteúdos
isso seria recusar sua própria
materialidade

mas dançar
invertendo a cadeia hierárquica das funções
anatômicas, das funções programadas
não querer recuperar -se
não resistir à tortura física do envelhecer
dançar o corpo inesperado.

Homem que anda sobre coluna. Colagem com durex sobre papel a partir de xerox de o Homem que anda sobre coluna (1877), de Rodin.   21 x 29,7 cm (2020).
Homem que anda sobre coluna. Colagem com durex sobre papel a partir de xerox de o Homem que anda sobre coluna (1877), de Rodin. 21 x 29,7 cm (2020).
Ensaio Para o Desaparecimento. Fotografia digital (2020).
O VINHADINHO. Fotoperformance. 30x40 cm.
O VINHADINHO. Fotoperformance. 30×40 cm.
“O VINHADINHO é um mamífero que mede 1,88 de altura. O peso varia com a região e com o estilo da dieta, porém, os vinhadinhos másculos podem pesar mais. Possui uma perna longa para fugir de emboscadas que a sociedade opressora cria, olhos grandes e bem abertos para detectar preconceituoso há mil metrôs de distância, possui alta elasticidade para desviar de piadinhas mortais e, às vezes, unhas afiadas para se defender de predadores.”
Abre caminho.  Fotografia digital (2020).
Abre caminho. Fotografia digital (2020).

• • •

Aline Kauana Cezar: Nasci em Esteio em 1994. Sou poeta, zinera e estudante de licenciatura em dança pela UERGS. Em 2019, expus no Salão FUNDARTE 10×10 o trabalho em fotografia CORPO-FOLHA. Participei da publicação Visíveis da Filipa Edições em 2020 com o poema “todo pensamento é confuso e o pensamento arrebenta os dentes” e “Categoria”. Também participo da próxima antologia Selo OFF Flip Poesia 2021 com “Anatomia”.

Nina Lins: É graduada em Artes Visuais na ECA-USP. É designer gráfica das revistas seLecT e ARS. Participa do grupo de pesquisa Depois do Fim da Arte, coordenado pela artista e professora Dora Longo Bahia. Expôs nas mostras Novas Poéticas (2016), Nascente (Centro Universitário Maria Antonia, 2018), Cripta (Galeria Vermelho c/ Depois do Fim da Arte – 2019), AMARRADONA (EdA – 2019) e outras.

Carlos lima Jr: Natural de Recife-PE, atua no meio do cinema e das artes visuais desde 2018, quando concluiu sua formação em Cinema. Dentre suas pesquisas, encontram-se temas como o inquietante/ estranho familiar, a exaustão do “corpo do cansaço”, o desaparecimento da humanidade, os processos de ansiedade, a morte, o não pertencimento e o caminho para a plenitude.

Breno de Sant’ana:  Nascido e criado em Santíssimo-RJ, sou artista visual e estudante de fotografia na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. As fotocolagem e fotoperformance são desenvolvidas a partir do senso comum da vivência cotidiana, os trabalhos incorporam uma transfiguração da consciência artística. Assim, as obras relacionam a minha experiência prática com os encontros, afetos, território e a cidade

Nina Horikawa: Vivi uma trajetória de seis anos em BH, onde cursei Artes Visuais na UFMG, e me graduei com habilitação em pintura. Atualmente vivo em São Paulo, onde trabalho como artista independente e desenvolvo minha poética, que envolve recortes de um cotidiano íntimo e melancólico, trazendo narrativas que coloquem as entrelinhas em evidência e dialoguem com questões sobre estar presente no mundo.

Você pode gostar de...