Edição 1 - 30.06.20

Conflitos

por Revista Tonel

imagem por Marina Avello

Ser contemporâneo é estar em relação com um presente sempre complicado demais para ser entendido completamente, mas desse embolado, tentar puxar uma linha contínua (que pode, cedo ou tarde, encontrar um nó cego).

Em meio ao empilhamento de catástrofes que agora chamamos de dia-a-dia, retomamos a TONEL com o tema conflitos. Sabemos o quanto estamos todos afundados há tempos nesse assunto, e também trememos a cada vez que alguém fala no “novo normal”. Porém, não desejamos remoer apenas os conflitos mais familiares cujas imagens passam nas nossas mentes como a pior retrospectiva de um ano que ainda nem acabou. Propomos este tema enfatizando que o conflito é fundamental para o ordenamento da vida social; o conflito existe no diálogo, na política, na cultura. 

Em meio ao empilhamento de catástrofes que agora chamamos de dia-a-dia, retomamos a TONEL com o tema conflitos.

Falamos aqui em conflito como dialética, como o movimento de contradições e embates entre ideias e argumentos que podem ser capazes de chegar em uma síntese, uma nova situação de entendimento comum. Pode ser capaz também do oposto, da disseminação da barbárie e do distanciamento – às vezes definitivo – das partes envolvidas, a morte do diálogo, a polarização extrema. 

Traremos textos que abordam múltiplas perspectivas sobre o tema: conflitos em áreas fronteiriças, o acesso a espaços de arte no Brasil, os apagamentos na história negra brasileira, futebol, aborto e arte contemporânea. Sem pretender grandes conclusões, abrimos mais questionamentos sobre o nosso tempo. Partindo de desacordos, polêmicas e injustiças, criar um espaço de diálogo, dissonância… e conflito.

Você pode gostar de...